Comer nozes reduz o risco de doenças cardíacas!


Segundo um estudo publicado no periódico científico Journal of the American College of Cardiology, de 2017, comer um punhado de nozes, castanhas, avelãs e amendoins duas ou mais vezes por semana pode reduzir o risco de doenças cardíacas. Os resultados da pesquisa mostraram que o risco de uma pessoa que consome as oleaginosas desenvolver doenças cardiovasculares é 15% menor, enquanto a doença arterial coronariana é reduzida em 23%.

A noz-pecã possui todos os aminoácidos essenciais recomendados para as necessidades de um individuo adulto, contendo teores elevados de lipídeos (cerca de 40% a 60%) e de proteínas (8% a 20%). Além disso, as nozes são fontes de outros nutrientes e substâncias denominadas funcionais ou compostas biologicamente ativas. Dentre eles, destaca-se o perfil de ácidos graxos, contendo, sobretudo os ácidos oleico, linoleico e conteúdo de fitoesteróis.

Possui também teores de vitamina do complexo B, vitamina A, C K e E, de selênio e, em alguns casos, de fibra alimentar, especialmente de fibras insolúveis.

Visando todos esses benefícios da noz pecan, pode-se afirmar que o consumo diário desses fitoquímicos, está diretamente associado com a redução do risco de doenças cardiovasculares, e em contra partida também de alguns tipos de câncer, como de próstata, esôfago, estômago, cólon e reto.