Dicas para uma alimentação saudável na gestação.


Uma mãe bem nutrida é capaz de fornecer todos os nutrientes e possui chances muito maiores de gerar um filho saudável. O momento de gestação é um dos melhores momentos para se aderir a uma rotina de alimentação saudável, pois não é só a mãe que se beneficia desse comportamento, mas o bebê também. Apesar de existirem alguns alimentos que devem ser evitados, existem aqueles que são especialmente indicados durante esse período.

Manter uma alimentação adequada é fundamental para que o bebê se desenvolva. Uma mãe bem nutrida é capaz de fornecer todos os nutrientes e possui chances muito maiores de gerar um filho saudável.

A diminuição de fatores de risco durante a gravidez, pode ser conseguida através de uma alimentação responsável e equilibrada. Alguns destes fatores são: Ganho de peso excessivo, diabete gestacional e hipertensão.


ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL DURANTE A GRAVIDEZ


É de suma importância que se faça ao menos três refeições por dia (café da manhã, almoço e jantar), além de dois lanches saudáveis. Evitando assim que o estômago fique vazio por muito tempo e prevenindo fraquezas e desmaios. Além disso, comer o suficiente é importante para não morrer de fome e exagerar na próxima refeição, o que pode causar desconforto abdominal - principalmente durante o último trimestre.

Alimentos do grupo dos cereais, como arroz e milho, podem ser incluídos nas refeições, assim como tubérculos (batata e mandioca). Dê preferência ao que é natural e rico em fibras, vitaminas e minerais. Quanto mais colorido for o seu prato, melhor!

Além disso, é importante incluir na alimentação diária alimentos ricos em vitaminas e minerais e que são importantes para a saúde da mãe e do bebê, como por exemplo:

· Vitamina A: abóbora, cenoura, iogurte, leite, ovos, manga, brócolis e pimentão amarelo;

· Vitamina B12: produtos lácteos, ovos e alimentos fortificados;

· Ômega 3: óleo e sementes de linhaça, abacate, azeite de oliva extra virgem, nozes, chia e frutos secos;

· Cálcio: produtos lácteos, vegetais escuros, gergelim e frutos secos, como as nozes;

· Zinco: feijão e frutos secos como a castanha do Pará, amendoim, castanha de caju e nozes;

· Ferro: feijão, ervilha, grão de bico, ovo, cereais, pão integral e vegetais e folhas verde;

· Ácido fólico: espinafre, brócolis, couve, aspargo, couve de bruxelas, feijão e tomate.


Por fim, não se esqueça do bom e velho feijão com arroz: a combinação tipicamente brasileira é fonte de proteínas essenciais para a mulher grávida.


Durante a gestação a necessidade de energia é ainda maior, para poder passar por estes nove meses de desenvolvimento fetal sem grandes dificuldades. E não podemos esquecer que o bebê irá utilizar boa parte da sua energia para a estruturação de um novo organismo, e a energia que você habitualmente ocupa para o funcionamento das suas próprias funções vitais. Por isso, a ingestão de carboidratos é tão importante para essas mulheres, já que são os alimentos reconhecidos como as melhores fontes de energia da natureza.

Porém, é preciso muito cuidado quando o assunto é carboidratos, já que a ingestão exagerada deles pode levar ao acesso de peso e ao desenvolvimento de diabetes gestacional. Por isso, nesse período, o indicado é que se consuma alimentos de baixo índice glicêmico e que contenham fibras, para aumentar a sensação de saciedade e evitar a vontade de comer outros alimentos fora de hora. Um exemplo de alimento que se encaixa nessa descrição, são as Nozes Pecan, e oleaginosas em geral. Uma ótima opção para as mamães.