COMO ARMAZENAR E CONSUMIR OLEAGINOSAS



Também chamadas de nuts ou castanhas, as oleaginosas têm se destacado cada vez mais quando o assunto é alimentação saudável, e não é para menos. Elas são excelentes fontes de energia, cheias de nutrientes e vitaminas e gorduras boas, proporcionando uma alimentação super nutritiva, saborosa e saudável.

As oleaginosas são vegetais, dos quais é possível extrair óleo. Habitualmente chamamos de Oleaginosas as frutas que possuem suas cascas rígidas e possuem sementes quase sempre comestíveis. As mais conhecidas são: Nozes, macadâmia, amêndoas, avelã, pistache, castanhas de caju e do Pará. Caso tenha sentido falta do amendoim nesta lista, saiba que ele é classificado como uma leguminosa (grãos produzidos em vagens), mas é frequentemente considerado como oleaginosa pela semelhança na composição nutricional.

Mas o que realmente queremos falar aqui é que, existe um jeito certo de consumir e armazenar essas oleaginosas. O consumo delas deve ser cercado de vários cuidados para que elas não percam suas características nutricionais.


COMO ARMAZENAR:

É muito importante ter cuidado com o recipiente onde as castanhas serão armazenadas. Ao abrir o seu produto é essencial colocá-lo em recipientes limpos e secos, preferencialmente de vidro ou aço inoxidável, com fechamento hermético ou com rosca. Assim, você evita que seu produto tenha contato com os radicais livres presentes na Atmosfera.

É por isso que aqui na Pecanobre, nossos produtos são embalados em atmosfera modificada (Semi Vácuo Nitrogênio). Que funciona da seguinte forma: É feita a eliminação do ar contido na embalagem, seguida da injeção de um gás (N2- nitrogênio) selecionado de acordo com as propriedades do alimento, proporcionando assim um ambiente gasoso ótimo para a conservação do produto! A embalagem funciona como uma barreira, isolando o alimento da atmosfera externa. Esse tipo de condição na hora de embalar os produtos traz muitas vantagens como por exemplo; prolonga a vida útil da castanha, preservando a sua qualidade e segurança; Permite que o alimento se mantenha com o sabor, aroma, cor e qualidades nutricionais inalteradas; Evita a rancidez oxidativa e a condensação; Retarda o desenvolvimento de fungos e bactérias; Evita a deformação do produto, já que aqui trabalhamos com a prensagem parcial (cerca de 60%), garantindo que suas castanhas não sejam esmagadas e se quebrem.

Para que as castanhas se mantenham preservadas por ainda mais tempo, coloque o recipiente na geladeira! As temperaturas mais baixas previnem a perda de umidade e o desenvolvimento de mofo. Se mantidas em refrigeração as castanhas continuarão frescas, crocantes e deliciosas por muito mais tempo!

Se você quiser carregar na bolsa ou levar para a hora do lanche no trabalho, escola ou faculdade, não há problema em deixar fora da geladeira nesse período. Mas a dica é: Leve apenas a quantidade suficiente para ser consumida nesse dia e evite a exposição à luz.

Se você não sabia das dicas acima, ou caso não tenha se atentado a elas e agora suas castanhas perderam a crocância ou o sabor já não é mais o mesmo... Não se desespere! Ainda é possível que você consiga reverter essa situação. Dependendo do estágio do processo de autooxidação, colocando as castanhas em um recipiente hermeticamente fechado, na geladeira, você conseguirá recuperá-las.


COMO CONSUMIR:

Apesar de sabermos que as versões caramelizadas e drageadas são uma delícia, as versões In Natura nos proporcionam maiores benefícios em relação a saúde. Só compre a granel se tiver certeza da boa procedência e da data de validade. Se as oleaginosas estiverem embaladas a garantia de que as suas qualidades nutricionais estão inalteradas, será maior. O indicado segundo a pirâmide alimentar recomendada aos brasileiros são 30 g diárias, o que é mais ou menos o que cabe na palma da mão.


Esperamos que esse texto tenha sido útil a você.

Com Carinho, Pecanobre.